Janela Poética III

Marcus Vinícius Rodrigues

 

Deborah Dornellas

 

Depois de nós

 
nada ficou

depois de nós

só este pássaro que atravessa a cidade

depois de nós dois

todas as ruas vazias
nada sobre o asfalto gasto

depois de nós dois feridos

nem isso de saudade
nem um aviso

nada

só este pássaro perdido
que ainda insiste suas asas.

 

 

 

***

 

 

 

Uivo

 
Já não escuto o que é agudo ou grave
Mesmo as aves são mero voo obscuro.
Ouço apenas os mudos,
estes lobos de olhares ocos
a percorrer bosques de fome,
onde tateio uivos.

 

 

 

***

 

 

 

De como morder

 
Meu amor não me beija os pés.
Ele morde meus calcanhares.

Eu nunca escapo, embora tente,

e quase sempre engasgo
de também o ter entre os dentes.

 

 

 

***

 

 

 

Tudo que sei

 
Posso saber do mar distante
Pelo barulho longe

e do sol que brilha
pela sombra que o esconde.

Posso saber que a terra gira
só de olhar para o alto

e, tonto, olhos fechados,
ainda o sangue em correnteza

pela erosão do corpo gasto
na marcha da vida,

sei o que você não disse
na hora da despedida:

– Somos nossa única certeza.

 

 

 

***

 

 

 
Mensageiro

 
Era como um guerreiro
por entre as farpas do destino,

ia perdido e em seu caminho
colhia espadas que caíam,

o fio cortante de uma lembrança,
a lâmina cega de uma paixão,

o corpo em talhos de quem curar-se
sempre e em vão ainda tenta,

nesta sina de mensageiro
que em si leva a sentença.

 

Marcus Vinícius Rodrigues nasceu em Ilhéus-BA e vive em Salvador. Escreve ficção e poesia. Publicou os livros “Pequeno inventário das ausências” (Poesia, Prêmio Fundação Casa de Jorge Amado, 2001); “3 vestidos e meu corpo nu” (Contos, P55 Edições, 2009), “Eros resoluto” (Contos, P55 Edições, 2010), “Cada dia sobre a terra” (Contos, Ed Caramurê/EppPublicidade, 2010), “Se tua mão te ofende” (Novela, P55 Edições, 2014) e “Arquivos de um corpo em viagem” (poesia, Editora Mondrongo, 2015). Seu conto “A omoplata” venceu um dos concursos Newton Sampaio, edição 2009, promovido pela Secretaria de Cultura do Estado do Paraná.

 

 

Clique para imprimir.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *