Janela Poética IV

Adri Aleixo

 

Arte: Leonardo Mathias

 

Dois

 

Por favor,

desta palavra
só o sumo
o gozo
e  o ritmo.

 

 

***

 

 

Lady Godiva

 

Gostava de seguir tendências
leu certa vez em uma vitrine
: menos é mais!
despiu-se do cavalo.

 

 

***

 

 

Rotas

 

Eu seguia rio lento
de certo, meio assoreado
mas manso profundo calmo
conhecidas encostas.
De repente você vem
me irrompe em fúria
me alaga em púrpuras.

 

 

***

 

 

Fonemas

 

Ele inaugura linguagens
no percurso do meu corpo
língua
morfemas
cartografias
e eu sou toda epifanias.

 

 

***

 

 

Leitura

 
Eu nunca soube de bússolas ou distâncias
nem sei contar luas
apenas aprendi que elas
vociferam
e sinalizam
o corpo:
seio
calafrio
cio.

 

 

***

 

 

Etéreo

 
O poeta sabe
que todo
verso
tem
fome
de gente
e epifanias.

 

 

***

 

 

Corpo

 

É sempre inverno em mim
e tudo são sinos, tambores
sina
querência de toque
Coisas que
arfam chispam
olhos que leem
regaço
remanso.

 

 

Adri Aleixo é poeta mineira nascida em Conselheiro Lafaiete, mas hoje vive em Belo Horizonte onde presta consultoria em Linguagens. É graduada em Letras pela UEMG. Possui textos publicados em outros sites e revistas literárias. Escreve também contos e literatura infantil. Publicou em 2014, Des.caminhos, pela editora Patuá.

 

 

Clique para imprimir.

1 comentário

  1. Excelente os poemas da Adri. Lady godiva me deu um susto de prazer. Parabéns!

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *