Janela Poética V

 

Pintura: Sylvana Lobo

 

 

Boana 

José Carlos Souza

 

existe uma cor
que desambienta a paixão.

na varanda
o sol se desdobra
arranhando os vãos das telhas
despencando em lanças de luz.

mofo e fuligem
no interior
das veias.

amanhã
a vida
terá outro nome.

 

 

***

 

 

sonhando manhãs

 

nos varais da sorte
há um riso
que amarro entre os dentes.
palavras não deixam rastros
entre a voz e o soluço.
passarinhos no ar
arquitetando ninhos
sequestram o luar.

permaneço sentado no vazio
sonhando manhãs.

 

(Algumas pistas: Sou baiano de Santo Antonio de Jesus, vivo entre a poesia e a música e teimo em acreditar no valor da amizade. Contato: aldebara743@gmail.com)


 

Clique para imprimir.

3 Comentários

  1. “sentado no vazil esperando manhãs”
    só um poeta faz uma construção dessa…
    Parabéns!

  2. P A R A B É N S… é essa a palava!

  3. Obrigado Neuzamaria! Fico muito feliz com seu comentário.

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *